UNIPAZ 23 anos

:: CURSOS

Aprovado em Acessibilidade

:: CURSOS - Processo Pedagógico

aumentar fonte diminuir fonte imprimir

Cursos PROCESSO PEDAGÓGICO DA UNIPAZ

A ARTE DE VIVER A VIDA - A Educação Integral

Resgatando sabedorias antigas e colocando-as em bases contemporâneas, Pierre Weil criou um processo pedagógico de educação integral, que permite um intercâmbio entre ciência, filosofia, arte e tradições espirituais, através da holologia e da holopráxis, o que possibilita um processo de transformação individual e profissional.

Através de reflexões e vivências, exemplifica a destruição que vivenciamos, em função da fantasia criada pela mente humana de que somos separados do Todo, gerando a cultura de violência, bem como o possível caminho para o desenvolvimento de uma cultura de paz, ou seja, a necessidade de desenvolvimento dos três níveis de consciência: a individual, a social e a ambiental, através das três ecologias correspondentes.

O processo inicia-se com a Arte de Viver em Paz, metodologia transdisciplinar holística de Educação para a Paz e Não-violência pela qual, no ano 2000, Pierre Weil recebeu, em Paris, o Prêmio de Educação para a Paz da Unesco. E continua a aprofundar-se com as Artes de Viver: consciente, em plenitude, em harmonia, o conflito e a passagem. Seu propósito é o da grande tarefa do desenvolvimento das artes de viver consigo mesmo, de viver com os outros e de viver a nossa relação e o nosso lugar no universo.

A consciência, ainda vista como pessoal e individual, passa por vários estados e, em cada um desses, a consciência, que é sempre a mesma, toma contato com várias realidades diferentes. Para exemplificar, Pierre criou a fórmula (VR) f (EC), a vivência da realidade é função do estado de consciência em que nos encontramos. Ser consciente a toda hora implica viver de modo pleno, com presença, um estado de plena realização de todo o nosso potencial. Para tanto, se faz necessário o autoconhecimento em todos os seus níveis: o fisico, o emocional, o mental e o espiritual, bem como o conhecimento da dinâmica energética do ser humano, o desenvolvimento da escuta diurna e noturna, a capacidade de se colocar no lugar do outro, o respeito às diferenças, o equilíbrio entre o feminino e o masculino, a gestão dos conflitos intra e interpessoais e grupais, e ainda, as ciências atuais do macro e do microcosmos no que diz respeito à interdependência e à impermanência.

"Uma nova forma de ser nesta nossa existência pós-moderna, adequada a todos os tempos e a todas as pessoas - uma Arte de Viver a Vida. Este é meu voto mais profundo, esta é minha intenção última". Pierre Weil.

A ARTE DE CUIDAR - O Cuidado Integral

O Cuidado Integral na Abordagem Transdisciplinar Holística tem como princípio norteador a ética rigorosa e aberta, de respeito à inteireza humana, através de um olhar e de uma escuta acolhedores das múltiplas dimensões do ser humano e de sua relação com o Todo.

A Arte de Cuidar está pautada na vivência da Presença do Terceiro Incluído - A ARTE DO TRÊS, como explica Roberto Crema:

Holologia
2
Metáfora do Hemisfério Esquerdo
Analista
Separatividade
Centrado na Parte
Atomismo
Pensamento
Sensação
Corpo físico
Causalidade
Determinismo
Estado de vigília
Pessoal,
função egoíca
Comunicação
Regularidade, reprodutividade
Linguagem racional
Física mecânica
Ciência e tecnologia
Via quantitativa
Objetividade
Explicação
ATH
3
Metáfora do Corpo Caloso

A

A
R
T
E

D
O

T
R
Ê
S

Integração




Holopráxis
1
Metáfora do Hemisfério
Direito
Sintetista
Não separatividade
Centrado no Todo
Holismo
Sentimento
Intuição
Corpo psico-noético
Sincronicidade
Indeterminismo, incerteza
Estado de sonho/transe
Transpessoal,
além do ego
Transcomunicação
Singularidade, unicidade biográfica
Linguagem simbólica
Física quântica
Arte e mística
Via qualitativa
Subjetividade
Compreensão

A Arte de Cuidar na Abordagem Transdisciplinar Holística não é nem analítica, nem sintética. Consiste na integração destes dois caminhos de visão, de escuta e de ação na realidade. São como as duas asas da borboleta, as duas pernas do peregrino, na trilha com coração.

Podemos metaforizar como o corpo caloso, que liga os dois hemisférios cerebrais, o da análise e o da síntese, bem como a metáfora transcultural do chifre do unicórnio, referindo-se a uma inteligência integral e transdisciplinar, substrato simbólico de uma possibilidade de excelência humana.

Nesta terceira via, incluímos, ao mesmo tempo em que transcendemos, o um e o dois. Conquistamos o três, que se encontra implícito na transdisciplinaridade, na transcendência, no transpessoal, na transformação e na transgressão do binário, que caracteriza a Normose da Separatividade.

Através da Arte do Três no cuidado integral, poderemos encontrar uma solução transcendente de Aliança, rumo à reconstrução de uma humanidade mais íntegra e integrada. Esta poderá ser a luz a nos aguardar no final dos escombros da megacrise contemporânea.


Desenvolvido por Verônica Camelo